Pai de Santo Reclama na Justiça do Trabalho (2)

Já está disponível no portal do Tribunal Regional do Trabalho da Oitava Região (http://www.trt8.jus.br/frset_jurisprudencia_1grau.htm) o termo de audiência da ação ordinária proposta pelo pai de santo contra a empresária para quem fizera um trabalho.
A consulta pode ser feita pelo número do processo: 00639-2008-206-08-00-1.

Comentários

Anônimo disse…
PERGUNTAS E RESPOSTAS
Com Pai Fernando

11. Concordo que o trabalho espiritual não deve ser pago, mas para se realizar existe um suporte material. Acha que é preferível fechar as portas a quem precisa só para nada cobrar?
R. Tenho defendido a tese de que ninguém deve se prevalecer de sua mediunidade para auferir vantagens pecuniárias, principalmente explorando o sofrimento daqueles que vão buscar no espiritismo a esperança da cura de seus males, quer materiais ou espirituais. Quero deixar bem claro que isso nada tem a haver com cobranças para manutenção do terreiro. Uma casa tem várias despesas, como material para firmeza de seus orixás, velas, mão de obra da limpeza, impostos, água, energia elétrica, pagamentos trabalhistas e outra série de itens, conforme o tamanho de cada casa. Em nosso terreiro os médiuns contribuem com uma mensalidade, exploramos um largo estacionamento, a cantina e ainda recebemos doações espontâneas de adeptos da religião. O que entendo como proibitivo e antiético é cobrar as consultas para beneficio do próprio médium. Acho que receber doações e cobrar alguns atos destinados somente para a manutenção das instalações e pagamento do material usado perfeitamente compatível com a honestidade e os princípios da religião.

http://paimaneco.org.br/perguntasrespostas.html
Lafayette disse…
Êpa, tem que condenar, subsidiariamente, o Zé Pilintra, o Rompe-Mato, Yemanjá, India Potira, Exu, Ogum, Xangô e a Mãe Delamare.
Anônimo disse…
Boa Tarde Des. Alencar,
Este tipo de Ação Trabalhista vem demonstrar que os tempos são outros e a propria EC-45/2004 se encarregou de colocar em prova a mudança dos tempos.
O que é inadimissivel e inapropriado,o tipo de brincadeira e ridicularização,a qual submete o "Ilustrissímo" Advogado Laffayette a matéria.
Esse tipo de comentário feito pelo advogado não deveria ser de forma alguma aceito pelo dono do blog.
Cuidado Dr. Lafayette, pois as entidades ou cabocos, não aceitam esse tipo de brincadeiras...
Peço ao Des. Alencar que exclua o comentário desnecessario do Dr. Lafayette.

Juliann Lennon.
Cris Nascimento disse…
Alencar meu caro,
fico feliz com teu regresso! e mais ainda pela escassez, porém qualidade em tuas postagens - significa que estás focado no que mais nos interessa, tuas obrigações como desembargador trabalhista.
quanto a reclamação do pai-de-santo, justíssima, só mostra que temos que rever sempre nossos conceitos. agora cá pra nós...
e quando os "trabalhos" dos pais de santo, apezar de bem pagos, não surtem os efeitos desejados e prometidos, cabe reclamação no procom, ou onde?
rsrsrs
sorte na vida, caríssimo!
Lafayette disse…
Só agora, voltei aqui e li o comentário de Juliann Lennon.

Juliann Lennon é um nome bonito. Com certeza é de alguém que nasceu depois de 08/04/1963.

E quase com certeza, é de alguém cujos pais adoram os The Beatles ou o Jonh.

Este último, numa tradução rápida, escreveu assim:

"Imagine não existir céu
É fácil se você tentar
Nenhum inferno abaixo de nós
E acima apenas o espaço

Imagine todas as pessoas
Vivendo para o hoje

Imagine não existir países
Não é difícil de fazê-lo
Nada para matar ou por morrer
E nenhuma religião

Imagine todas as pessoas
Vivendo em paz

Você pode falar que eu sou um sonhador
Mas não sou o único
Desejo que um dia você se junte a nós
E o mundo, então, será como um só

Imagine não existir posses
Surpreenderia-me se você conseguisse
Inexistir necessidades e fome
Uma irmandade humana

Imagine todas as pessoas
Partilhando o mundo

Você pode falar que eu sou um sonhador
Mas não sou o único
Desejo que um dia você se junte a nós
E o mundo, então , será como um só."

Assim, dê uma chance à Paz!

Juliann, se você viessa ao blog me chamar atenção, no sentido de que eu respeitasse algum credo, religião, pensamento (mesmo entendendo que humor é humor, mesmo que péssimo), até me calaria, ou melhor, analisaria.

Mas, primeiro, não me chame de doutor, sou apenas advogado (e não o dos bons). Casei logo depois de me formar e o doutorado ficou para depois... que não vai chegar nunca.

Segundo. Até que ilustrissimo é um tratamento simpático, mas, entre aspas, dispenso.

Terceiro. Se você for colocar meu nome na boca de um sapo, faça direito: meu nome é com dois t's, e não com dois f's... vai que pega num outro, coitado, que não tem nada com a história. rsrsrs

Quarto. Obrigado pela preocupação externada, mas, não se preocupe, meu santo é forte!
Anônimo disse…
Meu caro Lafayette,

Não quis de forma alguma ameaçar você, apenas não gostei do seu humor negro.
Mais vamos deixar esse epsódio de lado e seguiremos tranqüilos.
Tenho certeza que você respeita todas a religiões.
Tenha um ótimo dia!!!

PS. Não se ofenda com minhas colocações, são de profundo respeito para com você.
Conheço seu trabalho no jurídico da Rede Celpa,sei que é dos melhores SIM!!!!
Abraços

Juliann Lennon.
Lafayette disse…
Juliann, não me ofendi. É que toda vez que alguém pede censura de algo, eu pego um pouco de corda. rsrsrs

Só uma correção. Não respeito muito as religiões, não. Só os religiosos. ;)

Saiu a sentença do caso. Vou ali comentar.

Abraços.

Ps.: E não se esqueça o que disse O Poetinha:

"É melhor ser alegre que ser triste
Alegria é a melhor coisa que existe
É assim como a luz no coração"

Postagens mais visitadas