De León, Cidade Bimilenária

Chegamos à bimilenária León logo depois do meio-dia. Dezoito quilômetros tranqüilos saindo de Mansilla de Las Mulas e passando por Villamoros de Mansilla, Puente de Villarente, Arcahueja - que tem a melhor área de descanso de todo o Caminho, até agora - Valdelafuente e Puente Castro, esta já conurbada com León.
As cegonhas estao em plena época de nidificaçao e por isso cada igreja ou chaminé tem direito a pelo menos um ninho (a maioria já com filhotes). Mas na torre da igrejinha de Puente Castro um recorde de quatro ninhos. Cegonha aqui é coisa séria. No Plano Diretor da Restauraçao da Catedral de León constou uma regra: os ninhos de cegonhas que existiam nos periclitantes pináculos foram retirados respeitando o período de procriaçao. Coisa para amolecer o coraçao do mais renitente ambientalista. O Plano Diretor foi aprovado pela Junta de Castilla y León e pelo Cabildo. Acho que Sao Francisco também aprovaria.
A Catedral de León tem vitrais maravilhosos, coisa para rivalizar com a Saint Chapelle. Estao bem restaurados. A Catedral toda está sendo muito bem restaurada, com recursos públicos e donativos de peregrinos. Aqui no Norte da Espanha parece que a coisa ficou assim dividida. As igrejas rurais sao românicas e as das grandes cidades sao góticas, com tudo o que seria de se exigir desse estilo. A influência dos mestres franceses e alemaes é visível. Mas há um toque local nas temáticas. E a pedra parece ser bordada, tantos sao os detalhes. Os arcobotantes parecem ter a mesma inclinaçao. Sempre me deram a impressao de ser a síntese entre o milagre e a tecnologia, pois as forças que nele se equilibram sugerem essa mistura de fé e ciência.
León tem mais de dois mil anos e tem orgulho disso. Ela nasce com a ocupaçao romana pela Legio VII Gemina. Na Alta Idade Média foi uma das cidades que mais foi associada ao Caminho de Santiago, daí a grande quantidade de igrejas, monastérios, conventos, hospitais e albergues. A tradiçao de hospitalidade se mantém e reaviva. No albergue municipal convivem - em duas alas separadas apenas por um corredor - peregrinos e jovens hospédes do Albergue da Juventude. O prédio é do Ayuntamiento, muito bem conservado e bem atendido. Tem até elevador (que funciona!). Tem ducha com água quente, cozinha, calefaçao e Internet grátis (sessoes de meia hora).
O centro histórico está muito bem preservado e tem todas as funcionalidades necessárias para manter a vida e o turismo em alta. Cafés, bares, restaurantes, butiques, óticas, museus e tudo mais. Bem pertinho fica o indefectível El Corte Inglés. E bons hotéis, inclusive o parador de luxo que funciona no antigo Hospital de San Marcos, onde os cajados dos peregrinos eram marcados (como acontece hoje com as credenciais).
A gastronomia desta parte da Espanha é de arrasar. A combinaçao de graos (garbanzos e alubias), carnes, embutidos, batatas e legumes, acompanhada de pao e vinho, garante a reposiçao das forças para peregrinos.
Os leoneses querem autonomia (em relaçao à Castilla). As ruas estao com cartazes convocando para um ato público. Guardei um de recordaçao. Os leoneses sao muito ciosos de seu passado e lhes parece - pelo menos para parte deles - que Castilla é Castilla, León é León. E Espanha? Bom, Espanha é uma paella onde cabe tudo: catalaes, bascos, castillanos, leoneses, galegos e por aí.
Amanha vamos partir cedinho para Valladangos del Páramos (20 km), San Martin del Camino (mais 5 km) ou - se tivermos pernas - Puente y Hospital de Órbigo (mais 8 km).
Antes que me esqueça, muito obrigado ao Itajaí pelo comentário e pela força. Ao Lafayette também.

Comentários

Anônimo disse…
Meu amigo,
Que experiência, hein! Sei que não é por motivos religiosos, mas culturais.
Pelo que noto, escreverás um livro, quando retornares ao Pará
Um grande abraço

Ronaldo Giusti
Anônimo disse…
Meu caro José Maria Quadros de Alencar,
Soube através de um amigo de sua viagem e passei a acompanhá-la também através de seus comentários.

Um dia farei esse trajeto, espero!

Um forte abraço.

Antonio Carlos de andrade monteiro
Lafayette disse…
Tô caminhando contigo. Força.

Ronaldo, já disse o Caê:

"Quem é ateu e viu milagres como eu / Sabe que os deuses sem Deus /
Não cessam de brotar, nem cansam de esperar /
E o coração que é soberano e que é senhor /
Não cabe na escravidão, não cabe no seu não / Não cabe em si de tanto sim" ;-)
Gabriel disse…
Caro Alencar,

Deixo meu primeiro comentário neste blog que, meu amigo, está fantástico.

Além de viajante, você se revelou um cronista da melhor cepa.

Continue a nos iluminar do outro lado do mundo. Aguardo ansioso sua visão da torre da catedral de Santiago, o momento mais emocionante do caminho.

Abraços, um tanto invejosos.

Gabriel

Postagens mais visitadas