Estrada de Ferro Tocantins

Neste ano do centenário da Estrada de Ferro de Bragança, convém relembrar que no Pará também existiu outra ferrovia, a Estrada de Ferro do Tocantins, cuja memória merece também ser preservada. Do patrimônio material da EFT sobrou uma locomotiva, que atualmente está na preservada graças a uma iniciativa da ELETRONORTE - e, para ser justo, aos esforços de um dos seus mais duros e capacitados advogados, o mineiro Altir de Souza Maia, um agrarista egresso dos quadros do INCRA  - e ocupa uma pracinha em frente ao Hotel HTA, na parte mais alta da Vila Permanente, em Tucuruí, a antiga Alcobaça. 
O deputado estadual Parsifal Pontes, que já foi Prefeito de Tucuruí, mantém um sítio na Internet onde publica a história da ferrovia e fotos antigas. É outra contribuição importante para essa preservação.
Lourenço Paz tem outra importante contribuição, disponível aqui.
E J. J. Leandro, de Araguaína, publicou no Overmundo uma apaixonada biografia de Virgínio Santa Rosa, o engenheiro ferroviário e deputado federal paraense que revitalizou a ferrovia durante a II Guerra Mundial. Visionário, defendeu a construção de uma ferrovia ligando Belém a Porto Alegre. Uma verdadeira Norte-Sul.

Comentários

Parabéns pela série Excelência.
Mas, antecipando o pedido de desculpas pela mudança de assunto.
O senhor poderia comentar à luz das leis trabalhistas o que representa a publicação, hoje, da Lei do Estágio, que a partir de agora, de acordo com a lei 11.788, os estagiários, entre outras novidades, que tenham contrato com duração igual ou superior a um ano têm direito a 30 dias de recesso, preferencialmente durante as férias escolares, de cordo com o link: http://www.migalhas.com.br/mostra_noticia.aspx?cod=69903
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Val-André.

Seu pedido é uma ordem.
Já tem post sobre o tema.

Postagens mais visitadas