Latinório

Sou do tempo em que se estudava latim no Ginásio. E penso que esse estudo faz falta. Afinal, falamos e escrevemos a última flor do Lácio inculta e bela. E saber um pouco de latim ajuda a saber melhor nosso português.
Mas nem por isso sou adepto do latinório e do juridiquês, antes pelo contrário.
Latim só quando impossível não usar o vernáculo (habeas corpus, por exemplo, não tem jeito). Via de regra uso o vernáculo e o latim vai entre parêntesis, quando for inevitável usá-lo.
Quem gosta do latinório e do juridiquês é melhor estudar um pouco de latim para não fazer feio.
Assim, e por exemplo, data venia não tem acento circunflexo, que simplesmente não existe no latim.
A flexão no latim não é igual no português. O plural em português é feito geralmente acrescentando um S no final da palavra. No latim também se faz a flexão de número alterando a desinência, conforme o caso e a declinação, mas não necessariamente acrescentando um s no final, como se faz em português. Assim, e por exemplo, o plural de campus é campi, de considerandum é consideranda. Por isso pega mal escrever considerandos como plural de considerandum. Sei que tem coisa pior, como os norte-americanos - cultos, inclusive universidades famosas - que inglesaram o latim e escrevem campuses para designar o plural de campus. Mas esse não é um bom exemplo.
Bem, é verdade que fizemos pior com a palavra mídia, que aportuguesamos do inglês media, que na verdade é latim - é o plural de medius, ou seja, meios (de comunicação, no caso) - puro.
Por essas e por outras tantas é melhor não usar o latim no latinório juridiquês, para não correr risco de fazer feio.

Comentários

Anônimo disse…
Vc é um mestre.
Fiz um semestre de latim no seminário em Fortaleza nos idos de 67 mas em seguida graças de Deus (rsrsrsrs) fui expulso.
Ficou apenas a máxima:
"bobeatus sunt , enrabatus est",
expressão tão a gosto dos luminares da nossa república.
Abração
Tadeu.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Muito obrigado, meu caro Tadeu, pela leitura e pelo comentário.
É exatamente para não ser vítima da máxima que uso ao mínimo o latim...
Mas gosto dele e, sinceramente, penso que ele deveria ser reincluído nos currículos nem que fosse com parte da disciplina Língua Portuguesa. Coisa pouca. Apenas para mostrar as declinações e os casos.
Enquanto isso não acontece, para socorrer os deserdados do latim na escola formal sugiro dois sítios na Internet: http://www.latim.ufsc.br/EE6C3033-4037-430E-94C7-125B723DF305.html http://www.geocities.com/athens/agora/1417/CursoLV.htm.

Postagens mais visitadas