De PAC e conto do paco

Serviço de utilidade pública para quem não quer correr o risco de cair em conto do paco.
Segunda-feira vai ser lançado o PAC, para acelerar o crescimento do país.
O IPEA divulgou no final do ano passado um estudo com as principais premissas para uma agenda macroecônomica. É um elixir travoso, prescrito para combater nossa subnutrição econômica e, de quebra, nos levar a um pote de ouro por volta de 2018.
Segundo esse mesmo estudo, a recuperação do crescimento está assentada em quatro pilares principais: reduzir o valor da dívida pública em relação ao PIB; reduzir a taxa de juro (Selic) que incide sobre a dívida pública; retomar o investimento público em infra-estrutura; e diminuir a carga tributária.
Se fizermos o dever de casa, no cenário desenhado pelo Ipea, a taxa de investimento (poupança) do setor público brasileiro chegaria a 5,2% do PIB em 2018.
O PAC de segunda-feira tem a ver com o quarto pilar (investimento público em infra-estrutura).
Mas se não tiver a sustentação dos outros três pilares, pode ser conversa mole para ninar bovino.
Escabreadas, as centrais sindicais estão berrando contra o uso do FGTS para financiar esses investimentos. Há precedentes que autorizam a desconfiança. Em outros tempos torraram fundos da Previdência Social com iniciativas parecidas (consta que até compra de petróleo o governo chegou a bancar com o recursos da Previdência).
Então ficamos assim: segunda-feira cotejamos o PAC com as premissas macroeconômicas e os pilares do IPEA. Se faltar um ou alguns desses pilares e premissas, é melhor tomar cuidado para não cair no manjado conto.

Comentários

lxg_1114 disse…
Very good article,If you want to earn 5,000 dollars, please visit my blog, the very good fortune make moneyinformation
ALFREDO GARCIA disse…
CARO ALENCAR:
Muito oportuno, bem escrito ao seu estilo, esse post.
Será que caímos no conto do PAC?
Na área cultural, confesso, tenho minhas restrições, embora possua amigos e artistas que admiro no governo do PT-Pará. Como vc, conheci a Ana Júlia na época em que estava bancário. O Lauande é quem pode nos falar melhor sobre esse quadro atual, afinal está no centro nervoso do planejamento petista.
Abraços.
Anônimo disse…
Ei Lauande pare de se autopromover
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Garcia.

Obrigado pelo comentário. Vou olhar com lupa o PAC e fazer uma suíte mais adiante.

Postagens mais visitadas