Vencendo o Câncer

Um de cada seis homens vai ter câncer de próstata. Se os homens chegássemos aos cem anos, seria quase certo que todos teríamos câncer de próstata. Um em cada seis é mais ou menos 18%. Desses dezoito em cada cem homens, só três morrem em decorrência do câncer. Quinze se salvam, pois câncer de próstata tem cura.
E a cura começa com a prevenção, feita basicamente com dois exames bem simples. Um, de sangue, mede  o antígeno prostático específco (PSA) que é o melhor marcador - digamos assim, um medidor - de eventuais alterações na próstata. É barato e deve ser feito a partir de uma certa idade, dependendo dos antecedentes familiares. O outro exame, complementar ao primeiro, é o toque retal, barato e eficaz. Dependendo do protocolo que o urologista seguir e, admitamos, o gosto do freguês, pode ser feito um exame com ultrassom. A rotina dessa prevenção - anual - faz toda a diferença e pode colocar o homem entre os três que vão morrer ou os quinze que vão se salvar. É essa, serenamente, a escolha a fazer.
O exame de sangue (PSA) já faz parte da rotina de muitos homens, por iniciativa própria ou estimulados pela família (muitas vezes é a mulher que marca a consulta para o homem) ou pelas empresas e organizações. O passo seguinte, a ida ao urologista para o exame de toque retal, enfrenta preconceitos, geralmente sob a forma de rejeição associada a um machismo despropositado ou ao temor de um achado. Aos machões parece que o toque retal pode reduzir a masculinidade. Vai ver que não estão tão seguros assim...
O que os machões precisam saber é que o diagnóstico precoce favorece a preservação da ereção e não o contrário.
Explico. O toque retal permite o diagnóstico do câncer no seu estágio inicial. Se no toque o urologista encontrar alguma anomalia, ele pede uma biópsia prostática. As amostras são retiradas através do reto, com ajuda de uma sonda transretal (ultrassom) e uma agulha que recolhe fragmentos da próstata (o procedimento é feito com anestesia e no atual estado da arte não causa desconforto). A biópsia confirmará se há ou não câncer (adenocarcinoma) e o grau de comprometimento da glândula, conforme um escore que vai de 1 a 10 (escore de Gleason). O resultado da biópsia determinará a estratégia terapêutica a ser escolhida pelo médico e pelo paciente. Quando o câncer é diagnosticado no seu estágio inicial, é possível salvar um ou até mesmo os dois enervamentos (feixes de nervos) que controlam a ereção e, com isso, reduzir o risco de disfunção erétil após a terapia escolhida. Quando o diagnóstico não é precoce, além de aumentar o risco para o paciente, a disfunção erétil é praticamente certa. Trocando em miúdos, o toque retal ajuda a preservar a masculinidade e não o contrário.
A esta altura o leitor deve estar curioso para saber o porque desse lero todo.
Também explico. Eu acabo de passar por essa experiência.
Há muitos anos faço prevenção de câncer de próstata, anualmente, pois tenho antecedentes na família. Sempre fazia o exame de sangue (PSA) e o ultrassom (graças a um desses ultrassons encontrei anos atrás um cálculo na vesícula biliar, um achado que me permitiu fazer uma cirurgia eletiva tranquila). Mais recentemente o protocolo adotado incluiu o toque retal. Nos últimos quatro anos o PSA cresceu de forma consistente, mas nada de anormal aparecia no ultrassom e no toque retal. Este ano, um pouco antes de fazer o Caminho de Santiago - relatei aqui no blog dia por dia - fiz o PSA e ele havia aumentado mais uma vez. Como estava com tudo pronto para fazer o Caminho, deixei para ir ao urologista depois. Fiz o Caminho sem problemas, não senti nada, nenhum sintoma. O Caminho me fez bem para o corpo e para a mente. Quando voltei para a academia a avaliação física indicou um resultado muito bom, quase de atleta.
Fui ao urologista ao voltar e no toque ele encontrou uma anomalia e requisitou uma biópsia saturada da próstata. Foram recolhidos 21 fragmentos que formaram sete amostras. O resultado saiu na primeira quinzena de julho. Das sete amostras, quatro tinham adenocarcinomas (80%), sem invasão neural e com escore de Gleason de 4 + 3 (total 7), indicativo de uma gravidade aceitável e sugestiva de possibilidade de cura. Era o meu encontro com o câncer de próstata. Uma notícia ruim e outra boa. A boa era que o câncer parecia confinado à próstata e tinha cura. Exames preoperatorios - cintilografia óssea e tomografias - pareciam confirmar que não havia mesmo metástases. Esperei meu urologista voltar das férias e apresentei-lhe o resultado. Ele deixou-me a vontade para uma segunda consulta e sugeriu o médico com quem ele fizera residência em São Paulo. Como eu tenho muita confiança na técnica e na ética de meu urologista Júlio Bernardes, dispensei essa segunda consulta e optei pela extração radical da próstata, já sabendo que a chance de cura era alta e daria para salvar um dos enervamentos graças ao diagnóstico precoce. Admito que ter feito primeiro o Caminho de Santiago me ajudou muito, pois ao fazer essa escolha estava muito bem fisica e mentalmente. Essa é lição que agora aprendi: manter uma atividade física regular ajuda muito.
Depois de um cuidadoso preoperatório - que incluiu idas a cardiologista, neurologista e anestesiologista - extraí a próstata, a vesícula seminal e um dos enervamentos no dia 17 de agosto, terça-feira. A cirurgia correu bem. Fiquei um dia na UTI e quatro dias em um quarto do Hospital Guadalupe. Saí no domingo seguinte e estou tendo uma rápida recuperação, para a qual ajudou a preparação física e a boa saúde mental, mas muito, e muito mesmo, o apoio da minha família - minha esposa Araceli, meu irmão, meus enteados, enteada, genro, noras e netas - e das amigas, amigos e colegas, de todos os credos, que com suas preces, energias e cuidados me levam a uma surpreendentemente rápida recuperação. 
Faço fisioterapia desde o terceiro dia no hospital. Os exercícios são parecidos com os que fazemos nos aparelhos da academia, só que usando um elástico. O primeiro, mais fraquinho, já rompi. 
Levo uma vida com poucas restrições. Basicamente, depois de 17 dias usando sonda uretral, estou reaprendendo a ... urinar!
Hoje recebi o resultado da biópsia confirmando que o câncer estava mesmo confinado à próstata. Em medicinês, o estadiamento é pT2c. Foi a melhor notícia que poderia receber. Agora vou continuar fazendo o acompanhamento periódico e mudar os protocolos para incluir outras prevenções.
O câncer me colocou cara a cara com a finitude da vida, da qual passei a ter, reconheço, outra compreensão, outra visão. Valorizo cada instante, por mais simples e singelo que seja. Como faziam os antigos, carpe diem...
Sou grato ao Doutor Julio Bernardes e todos os médicos que me ajudaram (Steven Pinheiro, Fábio Moraes, Paulo Toscano, Scylla Lage, Ruy Borborema, Augusto Borborema, ao anestesiologista, aos intensivistas, aos técnicos e enfermeiras do Hospital Guadalupe), aos meus familiares e amigos, que muito me ajudaram a ingressar em um novo ciclo de vida, muito melhor que o anterior, reconheço.
Se um dia fosse escrever minhas memórias - tranquilizem-se, pouparei vocês desse suplício - o capítulo destinado a este ano de 2010 talvez tivesse por título O Ano do Câncer.
Resolvi tornar pública esta experiência para ajudar os homens que tinham dúvidas sobre o toque retal.
Alguns são salvos pelo gongo, outros pelo toque retal...
Foi meu caso.
E pode ser o seu, meu caro amigo.

Comentários

Mário Augusto disse…
Parabéns pelo brilhante relato que serve como alerta mostrando a importância da prevenção na saúde, e ao mesmo tempo afasta os mitos tão decantados sobre o exame local e as consequências pós cirúrgicas de uma prostatectomia.
Infelizmente sei o quanto é sofrível o CA de prostáta, pois lutei por longos anos cuidando de meu pai,tentando vencer o impossível,pois já existia metástase óssea.

Um grande abraço

Mário Augusto
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Mário Augusto,


Muito obrigado pelo prestígio de sua leitura e por seu comentário.
Lamento pelo seu pai.
Eu também perdi minha mãe para o câncer (de mama). Nunca vou esquecer disso.
Meu relato tem uma finalidade muito clara e precisa: ajudar os homens a vencer o câncer de próstata.
E ajudar as mulheres a ajudar os homens...
Afinal, elas também são interessadas.
Hiroshi Bogéa disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Hiroshi Bogéa disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Hiroshi Bogéa disse…
Meu querido, saiba o quanto este post me deixou feliz. A mim e aos meus familiares. Já levei a boa nova pro meu blog. Saúde infinita pra você. Abraços na Araceli e aos demais de casa.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caríssimo Hiroshi,


Feliz, felicíssimo estou eu, em saber que minha rápida recuperação também é devida à sua família, a quem serei eternamente grato.
Sou agnóstico, mas sei - de ciência própria - que as pessoas são capazes de emitir e receber energias.
Eu, com toda certeza lhe afirmo, recebi as energias geradas por você e sua família, cada um conforme sua respectiva crença.
Receba e transmita meus agradecimentos e os agradecimentos de Araceli e de toda minha família.
Essa dívida para com você e sua família é impagável, quantas vidas viva eu.
Muito obrigado.

Abraços fraternos e agradecidos do


Alencar, Araceli e família
Caro Dr. Alencar,

Fiquei muito emocionada com o seu relato. Tive várias experiências com o câncer na minha família e também aprendi a ver a vida de outra maneira.

Estou muito feliz por saber de seu restabelecimento. E torço para que rapidamente sua saúde esteja perfeita.

Grande e fraterno abraço.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Carissima Franssinete,


Talvez dois meses atrás, após ler esta sua mensagem, eu tivesse outra compreensão dela.
Agora, que quase morri na fogueira, sei o que é ser carvão, como diria Maria Rita. Compreendo exatamente sua vontade de viver - carpe diem - com seu esposo, filha e familiares. Sei perfeitamente o sentido que tem sua vida para você e, sejamos sinceros, para todos nós.
Por isso sou grato a você por também compartilhar sua vivência enriquecedora.
Olho as coisas da vida e a própria vida com outros olhos, como agora sei que você, sua filha e seu esposo também olham.
Ingresso em um novo ciclo de vida, melhor que os anteriores.
Agradeço a repercussão do post, pois isso vai ajudar os homens e as mulheres que precisam prevenir o câncer, qualquer que seja ele.

Abraços fraternos e agradecidos do


José de Alencar e da Araceli
Belém - Pará - Amazônia - Brasil
Anônimo disse…
Meu caro Alencar,

Lendo essa sua narrativa sobre a sua experiência com o câncer, lembrei-me quando nos conhecemos, nos anos 70/80: você, ainda jovem, já lutava pelas boas causas dos seus colegas bancários.
A nossa vida também é cheia de muitas lutas.
Quem já venceu tantos desafios, tenho a certeza, vai vencer mais esse. E eu sei que pra isso contas com a ajuda e a força dos teus familiares, o que é muito importante nesse momento, e dos amigos.
Saúde, Alencar.

Abraço forte,

Orly Bezerra
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Orly,

Bons tempos...
A Griffo estava nascendo.
Muito obrigado pela lembrança, pelo prestígio da leitura e pelo alentador comentário.
A luta continua...
Unidos jamais seremos vencidos...
Caso um dia você resolva criar uma campanha institucional em favor da prevenção do câncer e precisar de um garoto propaganda, conte comigo. É uma idéia.

Abraços agradecidos do


Alencar
Caro Alencar,

Fazia tempo que não vinha ao seu blog - como, de resto, o tempo não tem sido suficiente para postar no Flanar.
Hoje, graças a esse dia de meia-folga, visitei os blogs amigos e me deparei com essa postagem.
Graças a Deus a mensagem é boa - ótima, eu diria - e sua saúde está recuperada. Você merece vida longa.
Conte com minhas orações e vibrações positivas.
Saúde!
Anônimo disse…
Camarada José Maria Quadros Alencar, recebe o abraço sincero e caloroso deste bom e velho amigo.
No artigo, vc conseguiu ressignificar uma experiência dolorosa em uma experiência de aprendizado.
CARPE DIEM, TOVARICH.
Tito Barata
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro flâneur Francisco,

Muito obrigado pelo prestígio de sua leitura e por seu estimulante comentário.
Muito obrigado por sua solidariedade, orações e vibrações que, com toda certeza, acelerarão minha recuperação e melhorarão minha nova vida nova.
Valeu, amigo.

Meu caríssimo amigo e boníssimo camarada Titovsky.

Receba meu agradecimento pelo prestígio de sua leitura e seu precioso comentário.
Este post foi minha modestíssima contribuição para o gênero e para o progresso da Humanidade. É pouco, reconheço, mas é o que tenho para dar e fazer neste momento.
Se conseguir sensibilizar os homens e as mulheres para a prevenção e isso ajudar também a salvar alguém, estou recompensado.
Carpe diem, tovarich, carpe diem...
Anônimo disse…
Oi Alencar, soube há pouco e acessei seu blogue para obter informações sobre sua saúde, pois estava fora de Blm participando do CONAT. Desejo a você e Araceli muita luz e proteção para superarem com sucesso total a doença. Aliás, já estão superando. Abraço fraterno. Mary Cohen
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Prezada Mary,

Muito obrigado por sua solidariedade, que com certeza me ajuda e acelera a minha recuperação.
Receba a gratidão minha, da Araceli e de nossa família.

Abraços fraternos do

Alencar e Araceli
Yúdice Andrade disse…
Saúde! Desejo-lhe uma pronta recuperação e lhe asseguro que a sua postagem foi extremamente lúcida e didática, útil para quem ainda foge da dura realidade da próstata e seus problemas. Um abraço.
Alencar: os comentários confirmam a importancia da postagem, clara, didática e oportuna.
Abraços
Marcello Benjamin
PATRÍCIA GUERREIRO disse…
Meu sempre querido Dr. Alencar,

Apesar de já ter sabido, pelo senhor mesmo, as ótimas notícias, fiquei emocionada com seu relato, sobretudo por ter convivido com seus cuidados preventivos de perto.

Receba meus mais sinceros sentimentos de carinho e de amizade, compartilhando-os com Araceli e demais familares.

Um beijo afetuoso,

Patrícia Guerreiro
Anônimo disse…
Caro Dr. Alencar,
Seu relato é corajoso e muito lúcido, confesso que fiquei surpresa. Sabe bem o senhor que perdi meu pai e foi para uma doença que embora tenha controle, ainda não tem cura, e que a sobrevivência, na maioria das vezes, requer uma boa alimentação, atividade física, o que aliás foi muito bem destacado em seu depoimento, e importante para sua cura. No mais ter paz de espírito e o apoio incondicional da família, esta é sim é a base de tudo.
Tenho passado por problemas semelhantes com um ente querido, mas tenho muita fé, eu acredito muito que ele vai se curar, e também vai ser uma pessoa melhor.
Muita luz nessa caminhada e que sua vida volte ao normal, porém com aquele "olhar" que vai fazer a diferença nos próximos anos.
FORÇA.
Ana Lúcia Serra
Lafayette disse…
Sou mesmo um frouxo... mas agora que eli este post vou te ligar.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Yúdice,

Muito obrigado pelo prestígio de sua leitura e pelo comentário.
Minha intenção declarada, deliberada, é ajudar as pessoas a encarar e vencer essa e outras doenças.
Obrigado por seus votos.
Abraços fraternos.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro amigo Marcello,

Agradeço o prestígio de tua leitura e o comentário.
Agradeço também teu telefonema.
Fiquei feliz e recompensado com a repercussão do post, aferida pelos comentários.
Abraços fraternos.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Querida amiga Patrícia,

Agradeço o prestígio de tua leitura e o alentador e carinhoso comentário.
Sou grato a você por tudo o que fez por mim esses anos todos, no Gabinete e fora dele.
Você é um desses anjos que a vida nos atribui para guardar nossos passos.
Somos, eu, Araceli e toda a família, gratíssimos a você.

Beijos carinhosos de todos nós.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Minha cara amiga Ana Serra

Muito obrigado pelo prestígio de tua leitura e por teu importante e emocionante comentário.
Todos nós, amigos e admiradores, sentimos a perda do seu pai, o inesquecível Miguel Serra, até hoje lembrado em todos os encontros de advogados trabalhistas Brasil afora.
Receba minha solidariedade e minha energia positiva em favor do seu ente querido, desejando-lhe vitória e saúde.
Muito obrigado por sua força, por sua energia, que com certeza vai apressar minha recuperação.
Receba os agradecimentos de minha família.
Felicidades para todos nós, agora e sempre.
Abraços fraternos.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Lafayette,

Obrigado pelo prestígio de sua leitura e por seu corajoso comentário...
Aguardo teu telefonema.

Abraços fraternos.
Anônimo disse…
Dr. Alencar, senti que tinha muita necessidade de lhe escrever assim que soube do ocorrido, aliás, alguém de fora do TRT já havia me falado que o senhor passaria por uma cirúrgia, todavia, como foi na área esportiva, pensei em algo como coluna, pés, joelhos, OU SEJA, problemas relacionados com os esportitas. Mas saber sobre o câncer, de certa forma me tocou, me fez aproximar, inclusive por seu desprendimento do preconceito e preocupações egoísticas, sentimentos fortes que levam os seres ao fundo do poço por acharem desnecessário fazer o exame de toque, por puro preconceito, no caso de exame de próstata.
Mandarei notícias do meu ente querido, e quero boas notícias suas.
Obrigada pelos sinceros votos.
FORÇA E CORAGEM. ANA
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Caríssima Ana,

Força e coragem também para você e seu ente querido.
Teremos boas notícias sim, de todos nós.
Volto ao trabalho dia 1º de outubro.
Vai dar certo para todos nós.
Abraços fraternos.
Jânio disse…
Doutor Alencar,

Quem o conhece sabe que o senhor tiraria de letra essa experiência. Aliás, acho que é da natureza dos "Josés de Alencar" superar com tranquilidade essas adversidades.
Sua abordagem deveria ser usada numa campanha de conscientização dos homens na prevenção dessa doença. Com certeza a proporção 15/3 poderia melhorar. Desejamos-lhe pronta recuperação e saúde sem mais percalços. Um abraço.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Jânio,

Muito obrigado pelo prestígio da tua leitura e por teu estimulante comentário.
Espero ter ajudado homens e mulheres a enfrentar essa doença, em suas várias manifestações.
Peço tua ajuda para aumentar o círculo de influência dessa iniciativa, para o bem de todos nós, de nossas famílias e da Humanidade.
Abraços fraternos.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Jânio,

Muito obrigado pelo prestígio da tua leitura e por teu estimulante comentário.
Espero ter ajudado homens e mulheres a enfrentar essa doença, em suas várias manifestações.
Peço tua ajuda para aumentar o círculo de influência dessa iniciativa, para o bem de todos nós, de nossas famílias e da Humanidade.
Abraços fraternos.
Francy disse…
Parabéns pela mensagem, mesmo hoje em 2010 não é fácil falar tão abertamente sobre o câncer. Teu testemunho corajoso e sensato ajudará as pessoas a enfrentarem não só a doença e o preconceito, mas também o medo do diagnóstico. Vou encaminhar a tua mensagem aos meus amigos.
O sentimento de finitude nos torna mais seletivos com nossos sentimentos e nos faz valorizar ainda mais as pessoas que nos amam. Graças a Deus tu és muito querido, tem uma família maravilhosa e amigos que estarão sempre contigo.
Continuo rezando para que tenhas uma recuperação plena. SAÚDE, amor e paz para ti e para tua família. Conte sempre conosco.

Abraços fraternos,

Francy Fernandes.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Caríssima Francy,

Muito obrigado pela leitura e pelo precioso comentário.
Obrigado também pela visita, por suas preces e por sua solidariedade, que com certeza contribuem muito para minha rápida recuperação.
Espero ter contribuído e continuar contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do desenvolvimento humano, pois essa é minha missão de vida.
Agradeço também pela referência a nossa família, que é mesmo maravilhosa, nela incluída sua mãe, irmãos, filhos e sobrinhos.
Vivamos cada dia como se fosse o penúltimo e cada dia seguinte como se fosse a eternidade, para que aprendamos sempre e cada vez mais a viver bem.
Carpe diem.
Anônimo disse…
Alencar, certa vez fui ao médico e ele pediu-me o exame denominado PSA. Depois de feito retornei a ele para a sua análise. Depois que ele analisou o resultado,disse que tudo estava bem, mas o toque seria fundamental. Aí ele perguntou:
- Voce se importa?
- Doutor, não só me importo como fico bravo prá caramba! Mas se não tem outro jeito e sendo para o meu próprio bem, vamos ao exame. Moço, depois de sua realização,como tudo estava bem, deixei rapidamente o consultório sem olhar para tras
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro comentarista anônimo,

Volte sempre, ao consultório e ao blog.
E tenha uma vida longa e feliz.
Brasil disse…
Parabéns pelo belo e esclarecer relato de sua experiência.

Um grande abraço.

Brasil.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Brasil,

Muito obrigado por sua leitura e por seu comentário.
Já fiz o primeiro controle de PSA depois da cirurgia: 0,04. Dentro dos conformes.
A certeza de cura virá em cinco anos.
Até lá os protocolos de controle e prevenção serão rigorosamente cumpridos.
Relato corajoso, direto e desmistificador.
Viva a experiência que se revela e serve de alerta e incentivo!
Parabéns!
Claudio Queiroz disse…
Parabéns, meu caro amigo, pelo relato e pelo exemplo de perseverança. Você é referência para todos nós!
blogdoalencar disse…
Caríssimo Cláudio.

Muito obrigado pelo comentário e pelo compartilhamento no Facebook.
Sempre às suas ordens em Ananindeua.
Sucesso para o casal!

Postagens mais visitadas