Pinotti viu a uva

Em 1994, quando já caminhava para o final da vida - bem vivida - Ronaldo Bôscoli foi hospitalizado. Travava a batalha final contra o câncer, que tirou-lhe a vida mas não o bom humor.
Nos últimos dias recebia soro na veia de um dos braços e sangue na veia do outro braço.
Seu parceiro - de Mistura Fina - Miéle foi visitá-lo no hospital.
Bôscoli recebeu-o com toda a carioquice do mundo, mostrando os braços e perguntando:
- Branco ou tinto?
Ele era do tipo que perdia o amigo mas não perdia a piada. Podia perder a vida, mas não a alegria de viver.
Mário Pinotti era um paulista de Brotas, da turma de Adhemar de Barros - o pai - médico sanitarista que foi Ministro da Saúde de Getúlio Vargas e de Juscelino Kubtischek. Por ter criado um método de combate à malária - o Método Pinnoti - foi indicado para o Nobel de Medicina.
Se bem me recordo, foi dele a idéia de adicionar iodo no sal para combater o bócio. No começo foi duro de aguentar, pois o gosto era horrível. Acho que só de vingança os fabricantes de sal colocavam o nome de Mário Pinotti nos sacos, dizendo que o sal era iodado por ordem dele. Depois melhorou o gosto e hoje todo sal é iodado e ninguém nota. E graças a essa providência simples e barata o bócio foi praticamente erradicado.
Por essas e por outras Mário Pinotti é homenageado em muitas cidades. Seu nome está em praças, ruas, escolas e hospitais. Em Belém a homenagem foi feita no Pronto Socorro Municipal, o PSM velho de guerra, que leva o seu nome. Bom, pelo menos levava até bem pouco tempo atrás, quando qualquer zébedeu sabia escrever corretamente o nome do homenageado.
Agora estão reformando o Pronto Socorro e, ao que parece, resolveram trocar de nome ou fazer piada com o sanitarista. Quem passar na frente desse hospital vai encontrar uma imensa placa informando que está sendo feita a reforma do Pronto Socorro Mário Pinot. Isso mesmo, Pinot.
É caso de perguntar ao marqueteiro da Prefeitura:
Pinot Noir ou Blanc?

Comentários

Bia disse…
Gris, meu amigo. Pinot Gris, como fica nosso coração. Cinza, andando por esta Belém sem pai, mãe ou padrasto.
Abração.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
E lenço?
E documento?
Abraços, amiga Bia.

Postagens mais visitadas