Deu no Blog do Val-André Mutran

O blog do Val-André Mutran - Pelos Corredores do Planalto, com link aí do lado direito - publicou, por generosidade excessiva de seu poster, o seguinte post:
Sexta-feira, Outubro 05, 2007

Mais um craque

Acabo de linkar mais um craque para o time campeão da blogosfera: O Blog do Alencar.
Não o conheço pessoalmente, mas é um intelectual de valor, magistrado que torna o sonho dos que necessitam da busca pela Justiça, um exemplo.
Meritíssimo. O tapete vermelho está mais do que estendido à Vossa inteligência e quebra de paradigma. Demonstrando que, sobretudo, um juiz é gente. E no seu caso: sit venia verbo. Si tacuisses, philosophus mansisses do imortal (Boetius).
Continue ajudando todo o povo sine jure.

Comentários

Este comentário foi removido pelo autor.
Meretíssimo. Na primeira oportunidade que tiver gostaria ao retornar a Belém ter o privilégio de compartilhar uma mesa com Vossa Excelência.
Sei que o senhor já operou na Comarca do Trabalho em Marabá e lá foi justo e brilhante.

Não tenho segurança na afirmação pois, um dos males deste país, é não o de n
não se ter pesquisas qualitativas, certamente por falta de priorização de mecanismos que possam medir o desempenho das atividades previstas em Lei na operação do Estado. Porém, acredito que a Justiça do Trabalho de Marabá é uma das que mais cresce no país e precisa de aporte de recursos para o seu fortalecimento. Os índices de inclusão de trabalhadores com carteira assinada muito nos orgulha e entusiasma para mais investimentos nos setores produtivos.
A ameça que reverte esse crescimento o senhor muito bem sabe: A insegurança fundiária.

Quanto a questão de Marabá poderá vir a ser a Capital Administrativa do Estado, acho sua idéia muito interessante, mas não resolverá os nossos problemas.

Um colega de sua profissão, Procurador Federal, casado com uma Juíza Federal que conduziu a Vara Federal em Marabá, o Dr. Marcos, em todos os seus despachos carimbava no rodapé de seus despachos "Carajás Já!"

Há seis anos atrás, o Sindicato dos Produtores Rurais de Marabá (Prorural) - a mais longeva agremição do setor no Estado do Pará -, autorizou-nos, esse poster e o empresário e publicitário Eduardo Sobreira, a missão de organizar um Seminário sobre Trabalho Análogo ao Escravo.

Com a ajuda do Dr. Marcos e do Governo, trouxemos as maiores autoridades sobre o assunto do país.

A CPT, o MST e outros segmentos que se apresentam como Movimentos Sociais, sequer enviaram representantes. Os fazendeiros e demais interessados do setor, compareceram em ritmo de conta-gotas.

O evento teve lugar no auditório da Secretaria Municipal de Saúde de Marabá.

Naquela ocasião, lembro-me que preparei várias palestras a quem prestava serviços então.

Para não tornar a leitura cansativa vou resumir o que focamos: A Reforma Agrária é obrigação de todos. A regularização trabalhista é o início do processo de Justiça Social na região do Carajás. O reflorestamento é obrigação de todo o setor que trabalha na terra. Não importa, ressaltei, se o mesmo se dará em Projetos de Assentamento ou grandes propriedades tituladas. De lá prá cá e recentemente sobrevoei toda a área ao longo do trecho da PA-150, o que ví fiquei escandalizado... a mudança da paisagem arrancou lágrimas de meus olhos e feriu, quase de morte, o meu coração.

Era o que tinha a dizer Dr. Alencar.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Val-André.

1 Agradeço seu oportuno comentário.

2 Terei máximo prazer em encontrar com você na próxima estada aqui em Belém. Mande-me uma mensagem eletrônica antes para ajustar a agenda (jose.alencar@trt8.gov.br).

3 Permita-me um esclarecimento: trabalhei em Marabá entre os anos 1973-1976, mas no Banco do Brasil, relatando parte disso aqui no Blog, quando tratei do Projeto Pacal dias atrás.

4 Não desanime nunca, embora saiba que isso é difícil quando se vê, do alto ou do chão, a devastação havida no Sul do Pará.

5 Dias desses, quando em correição nas Varas do Trabalho so Sul do Estado, passei no Rio Sorozinho e no Rio Vermelho e deu-me um nó na garganta. Os rios por onde antes desciam safras e safras de castanha-do-par-a simplesmente haviam secado. De verde sobrou a Floresta Nacional de Carajás e algumas reservas indígenas adjacentes ou próximas.

6 Ademir Braz também me diz que a proposta de fazer de Marabá a capital administrativa do Estado do Pará chega tarde demais.

7 Ainda acho que não. Se o Sul do Pará for atendido em suas melhores e mais legítimdas reivindicações, a manutenção do Estado único passa a ser de interesse de todos, pela complementariedade que disso resulta. Ontem Afonso Chermont cuidou de nos relembrar o exemplo do Amapá.

8 Mas sou obrigado a reconhecer que, persistindo o descompromisso das elites dirigentes e governantes do Estado do Pará com o Sul do Estado, o desmembramento continuará sendo uma reivindicação sempre presente e legitimada por esse descompromisso. Não quero com isso dizer que o desmembramento vai operar milagres e favorecerá a maioria da população do Sul do Pará. Apenas constato, porque vivi na região, convivi com as pessoas que nela vivem e compreendo perfeitamente as aspirações de parte dessa população.

9 Espero, sinceramente e de todo o coração, que consigamos fazer o melhor para todos, para a maioria, se possível for mantendo o Estado unido. Reconheço também que para isso é preciso estabelecer um diálogo respeitoso, com base em fatos e dados, ouvindo-nos mutuamente e fazendo um exercício de empatia, colocando-se cada um no lugar do outro, para melhor compreendê-lo.

Aguardo seu contato.

Abraços do

Alenar
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Val-André.

Acaba de passar na TV Cultura daqui de Belém um interessantíssimo documentário sobre Marabá.

Abraços do

Alencar
Dr. Alencar.
Acabo de ler suas considerações.
Acuso o registro de seu contato.
Terei imenso prazer em conhecê-lo pessoalmente.
Estamos muito preocupados quanto as várias agressões no Carajás.
Sua proposta é mais do que válida, e com o Carajás, as amarras serão mitigadas pois nossa gente é trabalhadora e há de carimbar mais uma estrêla em nossa bandeira, ao lado do transatlântico mal governado chamado Pará.
Muito obrigado meretíssimo, de coração.
Veja mais aqui www.estadodocarajas.com.br

Postagens mais visitadas