Direito Auxiliado por Computador (3)

O colega e bom amigo Juiz do Trabalho José Eduardo de Resende Chaves Júnior, o Pepe, é um dos meus favoritos.
Tenho divulgado suas contribuições, inclusive sua tese de doutorado.
Ele mostra sempre as imensas possibilidades do Direito Auxiliado por Computador (Computer Aided Law). E como o Brasil tem avançado nessa área. Ele diz, por exemplo, que estamos muito mais adiantados que Portugal (eu concordo). Aliás, nosso atraso - e para meu gosto estamos atrasados - muito se deve a nossa herança lusitana (pesada herança, convenhamos). 
Mas agora, graças ao impulso que vem de cima - mais precisamente, do Conselho Nacional de Justiça e, no caso da Justiça do Trabalho,  do Conselho Superior da Justiça do Trabalho - o uso cada vez mais intenso das tecnologias de informação e comunicação (TICs) é uma tendência irreversível e a completa automação vai ser questão de tempo (como tenho origem no Banco do Brasil sei como isso vai acontecer pela experiência que lá vivi nos anos setenta, quando começou a automação bancária).
Leiam os bem postos argumentos do Pepe aqui.

Comentários

Pepe Chaves disse…
Caro Amigo Alencar,

creio que a ficha não caiu ainda no mundo jurídico sobre a revolução do processo eletrônico.

O termo cunhado por vc., CAL(Computer Aided Law)ou seja, Direito Auxiliado pelo Computador, vai se rizomatizar em breve.

Estamos juntos nessa luta!
grande abraço
pepe
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Obrigado, meu caro Pepe, pela leitura e pelo comentário.
Acredito que o conceito de Direito Auxiliado por Computador - DAC, que é uma tradução direta de Computer-Aided Law - CAL, pode revolucionar o direito tanto quanto o Computer-Aided Design (CAD) e o Computer-Aided Manufaturing (CAM) revolucionaram a Arquitetura e a Engenharia.
E rizomatizado fará com que ele se torne operacional.
É o grande giro que o direito precisa dar neste início de milênio, se quiser evoluir e readquirir prestígio, como aconteceu com técnicas mais jovens como a Economia e a Administração.
zahlouth disse…
Os incríveis números do TRT on line

Os números podem ser excelentes ferramentas de conhecimento, podem servir de termômetro para medir a fria, morna ou quente receptividade de um novo procedimento.
São os números que falam pelo TRT On Line, pois são eles que mostram como boas idéias alteram comportamentos. Os advogados, antes reticentes com o envio eletrônico de dados, adotaram o TRT-On Line como instrumento de trabalho precioso, conforme se pode conferir nos quadros acima.

Quadro comparativo de petições eletrônicas e pré-protocolos 2007/2008

O Escritório Virtual se estabeleceu definitivamente, conforme confirmamos com os dados acima. Em 2007, houve 10.657 petições eletrônicas e, em 2008, este número subiu para 32.356, um aumento de mais de 300%. Se este aumento foi significativo, maior ainda foi o salto vertiginoso dos números de pré-protocolo: de 2.794, em 2007, para 25.864 pré-protocolos, em 2008, um aumento em torno de 925%.

Notícia elaborada pela servidora Cristina Gemaque da Central de Atendimento.

Postagens mais visitadas