Os Acorrentados da Plaza de Mayo

As manifestaçoes da Plaza de Mayo já sao praticamente uma atraçao turística de Buenos Aires. Como algumas delas transbordam para as adjacências, atrapalham o trânsito e infenizam a vida dos portenhos motorizados que precisam passar pelo Centro, sao fonte de irritaçao.
A manifestaçao atual é dos trabalhadores do Casino Flotante, que estao, digamos, acorrentados nas grades da Plaza de Mayo. Explico.
Como os argentinos sao conservadores, e como tal precisam de uma boa dose de hipocrisia, nao legalizam os cassinos. Por isso sempre lotaram os cassinos uruguaios. Até que um espertinho conseguiu fazer um cassino flutuante, fundeado a uns poucos centímetros do cais no início de Puerto Madero, saindo de La Boca. Durante algum tempo deu certo. As autoridades fingiam que a lei era cumprida, nos hotéis eram distribuídos bônus e a coisa funcionava mais ou menos assim. Quando deu errado - por que ainda nao consegui saber - os trabalhadores foram despedidos em massa e resolveram protestar, como todos, na Plaza de Mayo. Querem porque querem ser recebidos pela Presidenta. Querem voltar a trabalhar (Fuera los patoteros, dizem eles). E como nao foram recebidos, resolveram se acorrentar nas grades. A moda do Greenpeace.
Fui conferir. Passei na frente, encostei e nao vi as correntes. Voltei no dia seguinte com a pulga atrás da orelha: achava que as correntes eram cenográficas. E eram mesmo. Só jogavam as correntes por cima do corpo quando as câmaras de TV chegavam. Solidários, os turistas se acorrentam também de brincadeirinha - eu inclusive - e tomam um tererê com uma correntina (tomar tererê aqui é praticamente uma dissidência, pois a regra é o mate quente).
Pelo andar da carruagem, los encadenados de la Plaza de Mayo tao cedo nao vao ver os mocotós - que mocotós! - presidenciais de Cristina. O máximo que conseguiram até agora foi prorrogar por mais cinco dias a conciliaçao no Ministério do Trabalho.
O engraçado dessa história toda é que a televisao faz de conta que eles estao mesmo acorrentados e até um Monsenhor foi dar-lhes as bençaos na véspera do Ano Novo.
Em matéria de manifestantes da Plaza de Mayo sou mais las madres y las abuelas.

Comentários

Cris Moreno disse…
Caramba, vc é muito engraçado. Estou ficando viciado em vc... rsrs

E por um acaso vc já viu o mocotó da moça? rsrsrs hhuuummm... rsrs

Beijos.

Vou ler o outro post.

:)
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Cris,

Obrigado pelo vício, que nao faz mal para os pulmoes e muito menos para a cabeça.

Mas cuidado para nao deixar enciumado o Juvêncio.

Ah, sim. Nao vi - ainda - os mocotós presidenciais. Mas como Sua Excelência está em El Calafate - descansando, que o mocotó nao é de ferro - para onde viajo domingo, vou tentar vê-los.

Enquanto isso fui conferir a colaçao de mocotós do Senor Tango. Da melhor qualidade, como sempre.
Nely disse…
Caríssimo,

Seus textos são realmente surpreendentes (como sempre!). Leves, bem humorados, inteligentes, de coloquial requinte e ainda recheados de notáveis sutilezas. Difícil mesmo é não desejar estar vendo e ouvindo tudo isso aí, bem pertinho de você.

Conte mais. Conte sempre. Conte tudo... É estimulante para a mente e para o espírito provar de seus saborosos e singulares comentários de viagem!

Abraços,
Nely

Postagens mais visitadas