Exame de Ordem

A Justiça dispensou  o exame de Ordem, aquele que os bacharéis em direito fazem para poder advogar.
A notícia completa segue abaixo. Pelo que dá para entender, a decisão só beneficia os seis reprovados que foram à Justiça. E, por enquanto, se deram bem. Ou mal, sei lá, entende?

Juíza acaba com obrigatoriedade de aprovação na prova da OAB


Publicada em 4/3/2009

A Justiça Federal do Rio de Janeiro decidiu acabar com a obrigatoriedade de aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para que os bacharéis em Direito possam advogar. Na sentença, a juíza da 23ª Vara Federal, Maria Amélia Senos de Carvalho, dá ganho de causa a seis bacharéis reprovados na prova.

A decisão abre jurisprudência para os reprovados pela OAB em todo o País. No exame ano passado, foram mais de 5.500 pessoas ou 70% do total de candidatos.

A juíza alegou inconstitucionalidade da exigência de aprovação e determinou que a entidade permita aos bacharéis fazer a inscrição na Ordem exercer a profissão.

A OAB afirmou que vai recorrer pela segunda vez. No ano passado, o desembargador Raldênio Costa, relator da 8ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal, suspendeu os efeitos da liminar concedida pela mesma vara federal. A Ordem prepara apelação para ser levada novamente ao Tribunal Regional Federal (TRF).

Fonte: Terra

Comentários

Este comentário foi removido pelo autor.
Este comentário foi removido pelo autor.
Este comentário foi removido pelo autor.
Este comentário foi removido pelo autor.
Este comentário foi removido pelo autor.
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Obrigado, Lennon.

Com o devido respeito pela decisão judicial, ela é passível de revisão.
Passível é e provável também.

Postagens mais visitadas