Notícias de Cuzco (3)

Hoje tomei uma overdose de imersao no mundo inca. Passei o dia inteiro entre mercados e ruínas.
Em Ccorao comprei artesanato diretamente dos artesaos (chullos e chompas), fugindo um pouco do mercado bastante comercial de Pisac.
Em Ccohahuassi visitei um zoológico diferente, mantido por jovens veterinários com doaçoes dos visitantes e venda de artesanato. Pela primeira vez na vida pude tocar em um condor, recolhido por eles para recuperaçao e reintroduçao na natureza, o que vai ser difícil porque eles foram envenenados (provavelmente comeram carniça envenenada por estricnina e isso pode ter afetado o sistema nervoso das aves). É uma ave impressionante e vista assim de perto é mais impressionante ainda. A envergadura das asas chega a três metros. É parecido com um imenso urubu-rei, pesando cerca de 13 quilogramas. Comprei mais chullos sem regatear, como manda a tradiçao. Aqui a compra valeu também pela boa causa.
Pisac está em restauraçao, mas o mercado de artesanato expandiu-se muito e tornou-se muito comercial. Nao sao mais artesaos que vendem. Agora sao comerciantes, alguns até atacadistas. Mas o pueblo melhorou muito, graças ao turismo.
Almocei em Urubamba, onde o Vilcanota muda de nome. O Vilcanota/Urubamba é um dos subafluentes do Rio Amazonas. Urubamba também melhorou uma barbaridade. O restaurante serve um buffet de comida andina de respeito, inclusive um excelente ceviche de truta e uma nao menos excelente papa a huancayna.
Ollantaytambo também está melhor e as escavaçoes prosseguem. O volume de informaçoes sobre o sítio arquelógico aumentou bastante, o que torna mais fascinante ainda esse mundo inca que foi destruído por uma civilizaçao supostamente mais avançada.
Chinchero é um sítio arqueológico que começa a ser restaurado e explorado e já atrai visitantes em volume bastante para melhorar o pueblo.
De volta a Cuzco fui ver um espetáculo de danças folclóricas excelente (o ingresso é o boleto turístico). Lembrou-me o Ballet Folklórico Nacional do México. A propósito, em Belém falta algo parecido.
Amanha ingresso na Trilha Inca, continuando esta imersao na América profunda. Chegarei domingo a Machu Picchu. Segunda-feira reingresso para uma visita com mais calma. Se tiver pique, voltarei a atualizar o blog segunda-feira.
Hasta la vista.

Comentários

Romolo Sao Payo disse…
Essa hora vc deve estar literalmente nas nuvens, bravo aventureiro.
Up Up Up.keep going...
Abs.

R.Sampaio
JOSÉ DE ALENCAR disse…
Meu caro Romolo.

Obrigado pela leitura e pelo comentário.
Mais que isso.
Passei dela e fiquei um dia inteiro sobre as nuvens, que estavam no fundo, bem no fundao dos vales, 500 ou 600 metros abaixo da Trilha.
Caminhei acima das nuvens.
E muito diferente de fazer isso de aviao.
Agora estou em Águas Calientes, na beira do Urubamba, que avisto da sacada do hotel uns poucos metros mais adiante. O barulho parece de uma cascata e se ouve ao longe.
A verdade é que estou ouvindo este som do Urubamba desde ontem, qundo reingressamos no vale dele.

Postagens mais visitadas